People Analytics: um novo olhar

 
Rachel Malva | Gerente de People & Organization da PwC Brasil 

Mensurar é uma prática cada vez mais frequente entre os profissionais de RH. Seja por demanda da alta liderança das organizações, seja por um impulso interno para tornar-se uma área mais estratégica, a competência de análise ganha cada vez mais espaço. Esta tendência é reflexo de um movimento que já aconteceu em áreas como marketing, comunicação ou pesquisa & desenvolvimento, conhecidas por tratarem de assuntos mais subjetivos, e que trouxe excelentes resultados.

O People Analytics - análise de dados aplicada à gestão de pessoas - surgiu como um importante aliado para melhorar a qualidade da tomada de decisão sobre capital humano e passou a capturar a atenção de profissionais de recursos humanos, líderes empresariais e da comunidade acadêmica.

Por meio da análise de dados, a área de Recursos Humanos pode realizar desde reportes básicos, informando dados históricos, demográficos levantados em contagens básicas, até atingir o nível de modelagem, onde os dados coletados e indicadores calculados são utilizados para realização de previsões e ou planejamento de cenários futuros utilizando técnicas e ferramentas de análise de dados.

A segunda edição da pesquisa “Práticas de People Analytics nas Organizações Brasileiras”, conduzida pela PwC, em parceria com a FGV em 2016, analisou o grau de maturidade das empresas na utilização de indicadores classificando-as em quatro estágios. Apesar de ser uma prática que ganha cada vez mais força, apenas 10% das empresas está no último grau de maturidade relativo a utilização de indicadores para Modelagem.

Criar uma estrutura lógica que reúne, organiza e interpreta os dados relativos às práticas de gestão de pessoas, é o objetivo das organizações que percebem a prática de People Analytics como um instrumento de suporte para a solução de problemas complexos. Mesmo nas organizações que já utilizam indicadores, há ainda um longo caminho a ser percorrido.

Segundo dados da pesquisa que realizamos, em apenas 17% das organizações a alta administração utiliza as informações de People Analytics na tomada de decisões estratégicas da empresa e de planejamento futuro. Para a grande maioria (58% das empresas respondentes), o People Analytics é pouco utilizado para a tomada de decisões ou é a base para decisões circunscritas apenas à área de RH.

Os principais desafios para a evolução do People Analytics nas organizações são a dificuldade de correlacionar os indicadores com os objetivos do negócio, além do pouco preparo das lideranças no uso desse dados.

A dificuldade de correlacionar os indicadores e dados com objetivos e questões estratégicas do negócio, além do pouco preparo do nível gerencial para lidar com dados estão entre os principais desafios para a evolução do People Analytics nas organizações. Mas o primeiro passo, e talvez, o mais importante, é a empresa saber exatamente as perguntas que se quer responder. Depois, é necessário selecionar, a partir da enorme massa de informações disponíveis, que indicadores devem ser gerados e que análises e correlações precisam ser feitas.

Por exemplo, se seus desafios envolvem sucessão e diversidade, você deverá se preocupar em analisar dados diferentes dos acompanhados em uma organização que está tentando entender como evitar acidentes de trabalho ou aumentar a produtividade do time de vendas. De modo análogo, se o desafio de uma empresa é reduzir o número de processos trabalhistas, acompanhar apenas este indicador não garantirá que foram identificadas as causas deste problema e muito menos que alguma ação foi tomada de maneira consistente para saná-lo.

Para atingir a maturidade na utilização do People Analytics é cada vez mais importante ter profissionais na área de Recursos Humanos com habilidades para coleta de dados, tratamento e análise de informações, assim como ter recursos tecnológicos disponíveis para suportar este processo. Talvez por isso, dados da 20a Pesquisa Global com CEO´s, realizada pela PwC em 2016 demonstrem que mais da metade dos CEO´s está repensando a função de RH em suas organizações.

A revolução digital está remodelando a forma como vivemos e a maneira como trabalhamos. O volume de dados disponíveis nunca foi tão grande e a velocidade da mudança torna quase impossível prever o futuro com algum grau de certeza. A área de Recursos Humanos precisa estar apta a ajudar as organizações a reagir rapidamente diante destes desafios. O People Analytics pode ser a chave para lidar com estas questões.

Siga-nos