Brasil fecha julho com crescimento de 17% no volume de fusões e aquisições

 

Foram registradas 49 transações, de acordo com relatório da PwC Brasil

Julho registrou crescimento de 17% no volume de fusões e aquisições no país em relação a julho do ano passado. No período, foram anunciadas 49 transações, segundo relatório mensal da PwC Brasil. Já no acumulado dos sete primeiros meses, foram 349 transações, com incremento de 6% quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

A região sudeste segue predominante no interesse do investidor, com 72% dos negócios anunciados entre janeiro e julho, 250 transações, enquanto no mesmo período de 2016 foram registradas 200 fusões e aquisições. Em julho, foram 37 transações no Sudeste, um aumento de 106% em relação a igual mês do ano anterior.

O estado de São Paulo lidera o ranking com 56% das transações entre janeiro e julho, totalizando 195 negociações. Em 2016, foram 155. Do total de 195 transações, 156 foram registradas na capital de São Paulo e 39 no interior do estado.

 

Setores predominantes

Tecnologia da Informação (TI) segue como o setor que mais atrai investidores, respondendo por 21% do volume total dos sete primeiros meses, com 74 transações, aumento de 16% em relação ao mesmo período de 2016. Entre os exemplos de negócios anunciados em julho na área de TI, ganha destaque a aquisição da empresa brasileira Bysoft pela Wise Tech Global, companhia australiana que fornece software para indústria de execução logística.

O setor de Serviços Auxiliares ocupou a segunda posição no ranking de volume de operações de janeiro a julho, com 11% do total, equivalente a 37 fusões e aquisições (elevação de 6% em comparação ao ano anterior). Em terceiro, Serviços Públicos registrou 7% da somatória, com 26 transações, o que representa um incremento de 160% em relação ao ano passado.

 

Origem dos investimentos

Os investimentos de origem nacional ficaram à frente dos investimentos estrangeiros, com 57% de participação nas transações anunciadas até julho de 2017, ou 185 negociações, que representam uma elevação de 15% se comparado ao mesmo período de 2016.

No mesmo período, foram anunciadas 144 transações envolvendo capital estrangeiro, redução de 2% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Em julho, foram 24 transações realizadas por investimento do exterior, crescimento de 50% em relação ao volume transacionado em igual período de 2016. Os Estados Unidos foram responsáveis por 27% do volume total das transações, liderando o ranking com 39 negociações, apesar da redução de 24% se comparado ao ano  anterior.

Nos primeiros sete meses do ano, aquisições de controle majoritário superaram em 6% o volume de 2016, totalizando 202 transações, sendo a modalidade com maior volume de negócios.

 

Private Equity

Nos primeiros sete meses de 2017, os investidores financeiros estiveram presentes em 88 negociações, crescimento de 38% se comparado ao mesmo período de 2016, com 58% de investidores nacionais (51 transações) e 42% de investidores estrangeiros (37 transações). Em julho, foram seis negociações, redução de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo 50% investidores nacionais (três transações) e 50% de investidores estrangeiros (três transações). Das oito transações com investidores financeiros anunciadas em julho de 2016, 63% haviam sido realizadas por investidores nacionais e 37% por investidores estrangeiros.


 

Sobre a PwC

Na PwC, o nosso propósito é construir confiança na sociedade e resolver problemas importantes. Somos um Network de firmas presente em 157 países, com mais de 223.000 profissionais dedicados à prestação de serviços de qualidade em auditoria e asseguração, consultoria tributária e societária, consultoria de negócios e assessoria em transações. Saiba mais sobre a PwC e nos diga o que é importante para sua empresa ou carreira, visitando nosso site: www.pwc.com

Siga-nos