Quando todos podem trabalhar em casa, para que serve o escritório?

Pesquisa PwC de Trabalho Remoto nos EUA – 25 de junho de 2020

Adesão ampla à semana de trabalho flexível

  • Os empregados que trabalham em escritório gostariam de ter a opção de trabalhar em casa com mais frequência, mesmo depois que a ameaça da Covid-19 passar. Eles também querem apoio para definir os limites entre vida pessoal e profissional e, assim, melhorar sua produtividade.
  • Os empregadores precisam se preparar para semanas de trabalho flexíveis, pois a maioria dos profissionais que trabalham em escritório gostaria de ter opções para trabalhar remotamente pelo menos um dia por semana. Mais da metade (55%) dos executivos prevê oferecer essa opção.
  • O escritório ainda não está obsoleto, mas está mudando. Embora a crise de Covid-19 tenha mostrado que os empregados podem interagir bem mesmo afastados, as pessoas ainda querem interagir com os colegas pessoalmente. É por isso que 50% delas vão para o escritório.
  • Enquanto 30% dos executivos preveem a necessidade de menos espaço de escritório devido ao trabalho remoto, 50% apostam em um aumento, devido a exigências mais duradouras de distanciamento social ou ao crescimento de sua força de trabalho.
 

Executivos adotam modelos remotos que flexibilizam local e horário do trabalho no escritório

Realizada em junho, a pesquisa da PwC com empregados de escritório e executivos mostra ampla adesão à ideia de uma semana (e talvez um dia) de trabalho flexível permanente. A maioria dos empregados (83%) quer trabalhar em casa pelo menos um dia por semana, e metade dos empregadores (55%) prevê que a maioria de seu pessoal fará isso muito depois de terminada a preocupação com a Covid-19.

Isso não quer dizer que o escritório esteja obsoleto. Vivemos uma transição que levará mais tempo do que muitos esperavam, considerando a velocidade com que as empresas conseguiram migrar para o trabalho remoto durante a crise. As escolhas atuais a respeito do espaço do escritório estão associadas a ideias sobre necessidades de trabalho e da força de trabalho que as empresas têm em relação ao futuro. Muitas delas precisarão usar seus espaços de escritório de forma mais criativa para acomodar modelos híbridos de trabalho no local ou a partir de qualquer lugar.

Empregadores e empregados também precisarão descobrir como assegurar o sucesso do trabalho remoto. Muitos empregadores ainda enxergam a necessidade de colaborar e construir uma comunidade em um espaço físico. Eles também estão tentando descobrir como manter o alto nível de produtividade atual quando a pandemia acabar. Os empregados, por sua vez, procuram apoio para aliviar as pressões de estarem “sempre ativos”. Ao mesmo tempo, buscam novas maneiras de trabalhar de forma eficaz com os colegas e permanecer conectados à empresa.

A PwC entrevistou 120 executivos de empresas e 1.200 empregados de escritórios nos Estados Unidos entre 29 de maio e 4 de junho de 2020, para entender a eficácia do trabalho remoto. Os empregados entrevistados tiveram que trabalhar em casa durante a pandemia de Covid-19 (70%) ou o fariam rotineiramente de qualquer forma (30%) (trabalhadores essenciais foram excluídos.)

Em sua previsão, que porcentagem de seu pessoal de escritório trabalhará remotamente pelo menos um dia por semana?

72% dos empregados de escritório gostariam de trabalhar remotamente pelo menos duas vezes por semana

Onde os empregados querem trabalhar

As empresas transferiram quase toda a sua força de trabalho de escritório para o trabalho remoto quando o vírus se disseminou nos EUA. Para 73% dos executivos, a iniciativa foi um sucesso. Essa experiência forçada está abrindo oportunidades para as empresas abordarem como o trabalho é feito em suas sedes, escritórios de vendas, centrais de atendimento, centros de processamento e centros de inovação.

Atualmente, cerca de metade dos executivos (55%) espera ampliar as alternativas para a maioria de seus empregados de escritório trabalharem de casa pelo menos um dia por semana após a Covid-19, contra 39% antes da pandemia.

E a maioria dos empregados de escritório quer ter alguma opção de trabalho remoto. Quando perguntados se gostariam de continuar a trabalhar remotamente depois que a Covid-19 deixar de ser uma preocupação, as respostas foram claras: 72% disseram que gostariam de trabalhar fora do escritório pelo menos dois dias por semana, enquanto um terço (32%) afirma que prefere não ir mais para o escritório. Os empregados indicaram claramente seu interesse em ter diferentes opções.

Conclusões

Este é o momento de perguntar aos empregados de escritório o que funcionou bem ou não enquanto trabalhavam remotamente, quem encara a expansão do trabalho remoto como benefício e o que é preciso ser feito para garantir o sucesso dos trabalhadores remotos. Algumas das razões pelas quais os trabalhadores dizem depender do escritório da empresa podem ser facilmente ajustadas para o trabalho remoto. Por exemplo, 28% dizem que iam ao escritório antes da Covid-19 para usar equipamentos como impressoras, enquanto 22% disseram que o trabalho não havia sido digitalizado e que precisavam acessar arquivos em papel.

Outros fatores de atração dos empregados para o escritório podem ser mais difíceis de alcançar em um ambiente remoto. O principal deles é a possibilidade de colaborar com outros membros da equipe (50%). A dificuldade de colaboração também é a principal razão da falta de produtividade mencionada pelas pessoas que estão em casa (39%), perdendo apenas para o equilíbrio entre o trabalho e as tarefas domésticas, como cuidar dos filhos (38%).

A verdade é que os empregados não voltarão ao mesmo escritório do passado. Haverá menos pessoas, espaços de colaboração restritos e turnos rotativos – tudo isso exigirá que as equipes encontrem novas maneiras de se conectar e colaborar. Mais do que qualquer outra coisa, essa necessidade de conexão provavelmente vai determinar o que o escritório representará.

Com que frequência você trabalhava remotamente antes da Covid-19? Com que frequência gostaria de trabalhar quando a doença não for mais uma preocupação?

Os empregados não retornarão ao mesmo escritório do passado. Todos precisarão encontrar novas maneiras de se conectar e colaborar.

Não preparados para abandonar o escritório

Um terço dos executivos (30%) prevê menor necessidade de espaço de escritório em três anos, principalmente por causa do trabalho remoto. Os demais, que não preveem mudanças (19%) ou que antecipam um aumento nas necessidades de espaço de escritório (50%), estão apostando em crescimento e/ou exigência de distanciamento físico relacionada a questões de saúde e segurança. Nesse cenário, ainda não é claro o impacto de longo prazo sobre os imóveis comerciais.

As respostas indicam que as práticas de distanciamento social relacionadas à Covid-19 permanecerão como característica da rotina do escritório após 2020, o que influenciará a quantidade necessária de espaço, a aparência do escritório e seu funcionamento. Conforme elaboram seus planos para retornar ao local de trabalho, as empresas estão reconfigurando os layouts dos escritórios para reduzir sua capacidade pela metade ou até mais e adotam medidas como avaliações de saúde, turnos escalonados ou atraso na reabertura para limitar quantas pessoas podem conviver fisicamente.

Conclusões

O escritório representa algo importante de que poucos executivos estão dispostos a abrir mão. Eles se preocupam com as possíveis perdas, mesmo com a flexibilidade e uma força de trabalho disposta a dar esse passo – o trabalho remoto dois ou três dias por semana seria a situação provavelmente ideal.

Entre as preocupações dos executivos estão os impactos dessa decisão na inovação e na criatividade, justamente quando as empresas tentam redirecionar seu foco para restabelecer as receitas em um ambiente que pressiona por mudanças nas ofertas de produtos ou serviços. A expansão do trabalho remoto também levanta novas questões, por exemplo, sobre a eficácia das equipes no longo prazo para se relacionar com novos clientes ou ajudar a integrar novos empregados.

Há expectativa de que o escritório físico também evolua. As empresas já estão redesenhando melhores espaços de colaboração para que os empregados possam aproveitar ao máximo o tempo no escritório. Algumas migram de cidades mais densamente povoadas para os subúrbios a fim de reduzir a exposição ao transporte de massa e a espaços públicos lotados, pois persiste o medo de um surto viral.

Que mudanças você prevê em suas necessidades de espaço de escritório daqui a três anos?

Expandindo o trabalho remoto? Dê às pessoas o que elas precisam para serem mais produtivas.

Os executivos tendem a relatar com mais frequência que os empregados se tornaram mais produtivos (44%) trabalhando de casa durante a crise. Os empregados, no entanto, têm menos certeza disso: apenas 28% se sentem mais produtivos.

Perguntados sobre o que poderia ajudá-los a ser mais produtivos no trabalho remoto, os empregados mencionaram quatro necessidades.

Um aumento da flexibilidade de horário de trabalho acabaria com o tradicional período de oito horas de trabalho e forneceria alguma possibilidade de negociar quando o trabalho pode ser executado. 57% dos executivos planejam atender a essa demanda.

Hardware e equipamentos melhores – como laptops, monitores, impressoras e cadeiras – ajudariam milhões de pessoas que não estavam preparadas para trabalhar remotamente antes da pandemia. 55% dos executivos planejam atender a essa demanda. 

Regras claras para definir os horários de disponibilidade das pessoas estabeleceriam padrões comuns sobre capacidade de resposta. 42% dos executivos planejam atender a essa demanda.

Ajudar a gerenciar as cargas de trabalho significaria um avanço para as culturas corporativas em que o modo de trabalho “sempre ativo” prejudica o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. 43% dos executivos planejam atender a essa demanda. 

Conclusões

Executivos e empregados concordam com os dois principais requisitos de produtividade dos trabalhadores remotos – melhor equipamento e maior flexibilidade no horário de trabalho. No entanto, menos da metade dos executivos planeja tomar medidas para ajudar a gerenciar as cargas de trabalho ou definir regras claras sobre quando as pessoas devem estar disponíveis. Os empregadores têm a chance de tornar o trabalho remoto mais eficaz abordando essas questões diretamente.

Os empregados indicam claramente que precisam de apoio para estabelecer limites que os ajudem a produzir em seus níveis mais elevados, reservando tempo para descansar e recarregar as energias. Embora muitas vezes seja apontada como um meio para alcançar o equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, a flexibilidade de horário e local de trabalho muitas vezes tem um custo, pois os empregados descobrem que a fronteira entre vida pessoal e profissional se confunde com o tempo, e que as horas de trabalho aumentam e invadem a vida pessoal.

A produtividade mudou durante o trabalho em casa por causa da Covid-19?
Os empregadores planejam oferecer aos trabalhadores remotos o que eles precisam para se tornarem mais produtivos

Como manter a produtividade com uma força de trabalho remota

Configurar corretamente o trabalho remoto pode ajudar as empresas a manter seus empregados motivados, ampliar a base de talentos, aumentar a diversidade e reduzir os custos imobiliários. Mas a colaboração e o lado social do trabalho em equipe não devem ser esquecidos. Apresentamos aqui o que você pode fazer para tornar seu programa de trabalho remoto mais eficaz para sua empresa e seu pessoal:

Faça um balanço de seus imóveis. Analise os aluguéis com vencimento nos próximos 18 meses. O trabalho remoto pode reduzir as necessidades de espaço de escritório. Pense em como reformular seus escritórios atuais para permitir uma colaboração mais forte.

Desenvolva seu plano de mobilidade. Avalie todos os trabalhos em termos de adequação ao trabalho remoto e estabeleça diretrizes sobre quantos dias por semana os empregados de cada função devem trabalhar remotamente. Baseie suas diretrizes nas necessidades específicas de acesso a equipamentos, sistemas ou membros da equipe.

Consulte as pessoas. Um plano de mobilidade definido de cima para baixo pelo empregador é o primeiro passo, mas não se esqueça de investigar quais são as preferências dos empregados por meio de pesquisas e conversas com os gerentes. Circunstâncias pessoais podem levar alguns empregados a trabalhar remotamente com mais ou menos frequência do que as diretrizes da sua empresa sugerem.

Forneça as tecnologias certas. Ofereça as ferramentas de colaboração e os dados de que todos precisam para trabalhar remotamente com eficácia. Isso pode incluir ajudas de custo para equipamentos de home office ou internet de alta velocidade. Avalie e resolva as lacunas de segurança e controle em sua configuração de trabalho remoto.

Defina as novas formas de trabalhar. Muitas empresas se prepararam para adotar formas novas e mais digitais de trabalhar, além de uma mentalidade mais virtual. Defina novas expectativas para os hábitos de reunião e determine como as pessoas devem colaborar nos projetos. Dê atenção à forma como os gerentes treinarão e desenvolverão seu pessoal, gerenciando desempenho e mantendo o senso de comunidade e a cultura da equipe. Para cada uma dessas áreas, defina os padrões básicos, além de diretrizes, rotinas, processos e ferramentas que descrevem coletivamente as novas formas de trabalho da sua empresa. Avalie possíveis alterações nas métricas de desempenho individuais como reflexo dessa mudança.

Sobre a pesquisa

A PwC entrevistou 120 executivos nos Estados Unidos entre 29 de maio e 4 de junho de 2020. Todos eram de empresas de capital aberto e fechado em três setores: serviços financeiros (42%), tecnologia, mídia e telecomunicações (29%), e varejo e produtos de consumo (29 %). Ao todo, 83% dos entrevistados atuavam em empresas com receitas anuais superiores a US$ 1 bilhão. Dos participantes, 40% têm cargos de presidente, CEO ou diretor executivo e 18% têm cargos de vice-presidente.

Para entender as necessidades dos empregados, a PwC entrevistou 1.200 pessoas que trabalham em escritórios nos EUA em uma variedade de setores entre 1 ° de junho e 4 de junho de 2020. Todos se identificaram como empregados em trabalho remoto atualmente – tanto por causa das exigências de permanecer em casa por causa da Covid-19 (70%) quanto porque já trabalhavam em regime de flexibilidade com o empregador (30%).

Contatos

Tatiana Fernandes

Tatiana Fernandes

Sócia e líder de Capital Humano, PwC Brasil

Tel: +55 (11) 3674 2000

Siga-nos