Urbanização acelerada

A importância das cidades para a economia global tem aumentado a um ritmo sem precedentes. Em 1800, apenas 2% da população mundial viviam em cidades. Hoje somos 50%. A cada semana, 1,5 milhão de pessoas se somam a esse total.


O forte crescimento populacional vai exercer grandes pressões sobre a infraestrutura, o meio ambiente e o tecido social das cidades. Nova York, Pequim, Xangai e Londres, juntas, precisarão de investimentos de US$ 8 trilhões em infraestrutura ao longo dos próximos dez anos. O número de pessoas que vivem em favelas urbanas aumentou em um terço desde 1990. E embora ocupem 0,5% da superfície terrestre do planeta, as cidades consomem 75% dos seus recursos naturais.

O que esperar?

Acreditamos que as cidades não poderão continuar a crescer da mesma forma, sob pena de se tornarem insustentáveis. Os líderes urbanos precisarão fazer escolhas difíceis se quiserem que suas cidades cresçam, mas permaneçam habitáveis.

  • Uma opção que alguns líderes urbanos estão adotando é desenvolver uma nova cidade com base nas tecnologias mais modernas: a “Cidade Inteligente”. De Masdar, em Abu Dhabi, a Migaa, perto de Nairóbi, os gastos com as Cidades Inteligentes chegarão a US$ 1 trilhão.

Mas essas cidades fabricadas são sempre uma opção inteligente? Os custos monetários, ambientais e sociais costumam superar os benefícios trazidos pela tecnologia. Masdar deve acabar custando US$ 400 mil por habitante.

Há outra abordagem possível:

  • Implantar a tecnologia de modo horizontal, não vertical, a fim dar mais recursos aos “cidadãos inteligentes”. Assim, as cidades talvez possam continuar crescendo e se mantendo habitáveis.

Urbanização acelerada
Você sabia?

A importância da tecnologia

As comunidades locais estão usando a tecnologia para transformar megacidades em centros urbanos habitáveis. É o caso, por exemplo, do projeto de desenvolvimento de uma rua autossuficiente em energia em Austin, no Texas.

A nova tecnologia desempenha um papel ainda mais importante: está mudando a própria razão de existir das cidades. As pessoas costumavam ser atraídas pelas cidades por causa das oportunidades de emprego, agora elas são cada vez mais atraídas pela qualidade de vida que as cidades oferecem. A forma exata como cada cidade evoluirá será determinada pelas preferências coletivas dos governos municipais, das pessoas e das empresas.

Contatos

Carlos Mendonça

Sócio

Tel: +55 (11) 3674 3850

Siga-nos