Fusões e Aquisições no Brasil - Abril 2019

Foram anunciadas 241 transações até o mês de abril, 24% superior ao mesmo período apresentado em 2018

No período acumulado de 2019 foram anunciadas 241 transações, volume 24% superior a 2018 (195 transações). No mês de abril foram anunciadas 67 transações, apresentando um aumento de 60% em relação ao mesmo mês de 2018 (42 transações).

Os primeiros quatro meses do ano apresentam um cenário bastante positivo e consolidam o crescimento esperado para 2019.

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Transações

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

A região Sudeste representa 61% das transações anunciadas até abril de 2019

A Região Sudeste consolidou 61% do interesse do investidor nos negócios anunciados. Com 148 transações até abril, aumento de 7% em comparação ao ano anterior (2018 - 138 transações).

No mês de abril foram anunciadas 41 transações no Sudeste, aumento de 58% em comparação ao mesmo período do ano passado (abril 2018 - 26 transações).

O Estado de São Paulo com 46% das transações anunciadas no período acumulado até abril, representadas por 111 transações (2018 - 106 transações), sendo 98 negociações em São Paulo Capital e 13 transações em regiões no Interior de São Paulo.

Na Região Sul, foram anunciadas 39 negociações, 86% superior ao mesmo período de 2018 (21 transações).

Transações fora do Brasil representam 7% do total de transações anunciadas em 2019, com 17 negócios (2018 - 13 transações).

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.   

Com 74 transações anunciadas até abril, o setor de TI continua sendo preferência de investimento

5 principais setores correspondem a 62% do total


TI

74 transações, crescimento de 76% em relação a 2018 (42 transações)

31% do total transacionado

View more

Serviços Auxiliares

25 transações, crescimento de 79% em relação a 2018 (14 transações)

10% do total transacionado

View more

Serviços Públicos

22 transações, crescimento de 69% em relação a 2018 (13 transações)

9% do total transacionado

View more

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Exemplos de transações – Top 5 setores anual

  • A Riverwood Capital, empresa de private equity norte-americana, realizou um aporte no valor de R$ 80 milhões na Omie, que oferece plataforma de gestão na nuvem para pequenas e médias empresas;
  • A empresa norte-americana First Data realizou a aquisição da brasileira Software Express, do mesmo segmento, sem valores anunciados.
  • A brasileira Eleven Financial Research, empresa de consultoria em investimentos, realizou a incorporação das operações da Lopes Filho & Associados, do mesmo segmento, sem valores anunciados;
  • A corretora de seguros portuguesa MDS realizou a aquisição da Ben's, empresa que atua como consultora especializada em gestão de benefícios corporativos, sem valores anunciados.
  • A francesa Total Eren, braço de energias renováveis da Total, realizou a aquisição do complexo eólico Terra Santa, no Rio Grande do Norte, sem valores anunciados;
  • A Mitsui, holding japonesa, realizou a compra minoritária de 17% da Órigo Energia, empresa de geração de energia solar distribuída sediada em Campinas, sem valor anunciado.
  • A Sonae Sierra Brasil, desenvolvedora e operadora de shopping centers, realizou a compra minoritária de 30% do Plaza Sul Shopping, pelo valor de R$ 158,5 milhões, passando a deter 90% do empreendimento;
  • A Rede de Distribuição Zeferino, das marcas Supermercados Cubatão e Spasso Sabores, realizou a aquisição de 5 lojas da rede Supermercados Lavapés, de Mogi Mirim.
  • A empresa brasileira Gigliotti, corretora de seguros, realizou a aquisição da Gecali, do mesmo setor, sem valores anunciados;
  • A Edenred, recebeu a aprovação do CADE para a compra minoritária de 20% do Banco Topázio no Rio Grande do Sul, do grupo uruguaio Buzau, sem valor anunciado.

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Exemplos de transações – Top 5 setores – Abril 2019

A Ativy, empresa brasileira de soluções de Cloud, realizou a aquisição da Superabiz, fábrica de softwares especializada em integração para o mercado de ERP, sem valores anunciados.

A AES Tietê, empresa de geração de energia controlada pelo grupo norte-americano AES, realizou a aquisição da totalidade do Complexo Eólico do Alto Sertão III, com projetos de geração de energia eólica, pelo valor de até R$ 516 milhões.

A companhia brasileira JBS, processadora de alimentos, realizou a aquisição da planta de processamento de carne suína da Adelle Foods, do Rio Grande do Sul, pelo valor de R$ 235 milhões.

A MightyHive, consultora de mídia norte-americana e subsidiária da S4 Capital, do Reino Unido, realizou a aquisição da empresa brasileira ProgMedia, que presta consultoria em marketing online especialista em mídia programática, sem valores anunciados.

A companhia Ponta Sul Investimentos realizou a compra minoritária de 25,22% do total de ações preferenciais do banco digital de Belo Horizonte (MG), Banco Inter, sem valores anunciados.

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Os investidores nacionais estão 70% a frente dos estrangeiros nas aquisições e compras minoritárias anunciadas até abril

Investidores nacionais somam um total de 159 transações, crescimento de 39% quando comparado a abril de 2018 (114 transações), no período acumulado até o mês de abril representam 70% de participação nas aquisições e compras anunciadas.

Com 69 transações realizadas no período consolidado de 2019, os investidores estrangeiros regrediram 1% em relação ao mesmo período de 2018 (68 negociações).

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

As aquisições no período acumulado de 2019 estão 11% a frente do volume de 2018

Perfil de Transação Total Variação (%) 
  2019 2018 2018-2019
Aquisições 148 133 11%
Compras 80 49 63%
Joint Ventures 4 2 100%
Fusão 6 6 -
Incorporação 3 5 -40%
Cisão 0 0 -

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Estados Unidos, França e Espanha foram responsáveis por 53% do total de transações envolvendo capital estrangeiro

No período até abril de 2019 foram anunciadas 73 transações envolvendo capital estrangeiro, aumento de 1% em comparação ao mesmo período do ano anterior (2018 - 72 transações).

No mês de abril foram anunciadas 24 transações realizadas por capital estrangeiro, aumento de 60% em comparação ao mesmo período de 2018 (15 transações).

  • EUA: com 36% do total das transações - 26 negociações, volume 13% superior em comparação ao ano anterior (2018 - 23 transações);
  • França: com 10% do total - 7 transações (2018 - 4 transações);
  • Espanha: com 7% do total - 5 transações (2018 - 4 transações).

EUA, França e Espanha - 53% de interesse em ativos brasileiros do total de transações estrangeiras

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Private Equity

No período acumulado até o mês de abril de 2019, os investidores financeiros estiveram presentes em 63 transações, aumento de 54% quando comparado ao mesmo período do ano passado (2018 - 41 transações). Sendo 70% investidores nacionais (44 transações) e 30% investidores estrangeiros (19 transações) em 2019.

No mês de abril de 2019, os investidores financeiros estiveram presentes em 18 transações, aumento de 80% se comparado ao mesmo período do ano passado (2018 - 10 transações), sendo 61% investidores nacionais (11 transações) e 39% investidores estrangeiros (7 transações).

Das 10 transações anunciadas em abril de 2018, 60% foi composto por investidores nacionais e 40% por investidores estrangeiros.


Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Transações selecionadas de abril 2019

  • A companhia brasileira Linx, desenvolvedora de softwares de gestão, realizou a aquisição da Hiper Software, empresa de Brusque (SC) que desenvolve soluções de gestão para varejo, pelo valor de R$ 17,7 milhões;
  • A Impak Holding, realizou a aquisição de controle da Koch Metalúrgica, empresa do Rio Grande do Sul que fabrica acessórios e equipamento para transporte de carga, sem valores anunciados;
  • O grupo brasileiro Hapvida, que atua com operação de planos de saúde e hospitais, realizou a aquisição da Infoway, desenvolvedora de sistema de gestão de saúde do Piauí, pelo valor de R$ 20 milhões;
  • O fundo brasileiro Criatec 2 realizou um aporte no valor de R$ 2,5 milhões na Bom Consórcio, startup de Salvador (BA) que opera um marketplace de compra e vendas de cotas de concessionárias;
  • O grupo brasileiro Café Gema de Minas, realizou a aquisição da marca mineira Café Montes Claros, da indústria cafeeira, sem valores anunciados;
  • O grupo brasileiro Notre Dame Intermédica, operador de planos de saúde, realizou por meio de sua subsidiária integral BCBF Participações, a aquisição do Hospital AIMU, sediado no Rio de Janeiro, pelo valor de R$ 40 milhões.
  • O Banco do Brasil realizou a aquisição de uma carteira de cessão de créditos do Banco Votorantim pelo valor de R$ 1,393 bilhão;
  • O Grupo Morena Rosa, que confecciona artigos de moda, realizou a aquisição dos direitos de uso da marca Iódice, de moda feminina, sem valores anunciados;
  • A companhia norte-americana de nutrição animal Alltech, realizou por meio da Alltech Brasil, a compra minoritária de 49% da Guabi, do mesmo setor, com matriz em Campinas, sem valores anunciados. A Alltech passa a deter 100% da empresa;
  • A chinesa Flightparts, fabricante de trem de pouso, realizou a aquisição dos ativos da TAP M&E, de manutenção de aviões em Porto Alegre (RS), da TAP Air Portugal, sem valores anunciados;
  • A mineradora canadense Lundin Mining, realizou a aquisição de 100% de participação pertencente à canadense Yamana Gold na Mineração Maracá, proprietária da mina de cobre e ouro Chapada em Goiás, pelo valor de USD 800 milhões;
  • A Seidor, companhia espanhola de serviços e soluções em SAP, realizou a aquisição da B-Improve, fábrica de softwares localizada na Universidade do Vale do Paraíba, em São José dos Campos, sem valores anunciados.

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

Transações selecionadas de janeiro a março 2019

  • A gestora brasileira de investimentos Smart Money Ventures realizou um aporte no valor de R$ 1 milhão na Produttivo, startup de Curitiba que desenvolve software de gestão de inspeções e serviços de campo;
  • A Bright Photomedicine, startup brasileira desenvolvedora de remédio digital, dispositivo que integra software com fototerapia e trata de dores crônicas e osteoartrite, recebeu um aporte no valor de R$ 1,5 milhão através da plataforma de crowdfunding Kria;
  • A gestora brasileira de recursos HSI realizou a aquisição de dois edifícios comerciais em Alphaville na Grande São Paulo, denominados Evolution e Itower, pelo valor de R$ 400 milhões;
  • A Farallon, gestora de fundos de investimento norte-americana, realizou a compra minoritária de 10,2% de ações ordinárias do grupo de educação básica Somos Educação, sem valores anunciados;
  • A Ambar Tech, construtora brasileira, realizou a aquisição de 100% da startup catarinense Conaz Tecnologia, plataforma que facilita a o processo de transação com fornecedores do setor de construção civil, sem valores anunciados;
  • A Invest Tech, gestora brasileira de fundos de investimento realizou um aporte na startup catarinense Clip Escola, plataforma de comunicação e marketing escolar, sem valores anunciados;
  • A B3 realizou a aquisição de 100% da brasileira Portal de Documentos, empresa que desenvolve soluções digitais para participantes do ciclo de crédito e realiza eletronicamente processos de registro de contrato em cartório, pelo valor de R$ 175 milhões;
  • A Netshow.Me, startup que desenvolve plataforma de transmissão de vídeos ao vivo, realizou a aquisição da SignUp, startup do Rio Grande do Norte de soluções para gerenciamento e monetização de conteúdos online, sem valores anunciados;
  • A holandesa Corbion, que atua com desenvolvimento de ingredientes para alimentos e bioquímica, anunciou a aquisição da totalidade da paranaense Granotec, do mesmo setor, pelo valor de USD 45 milhões;
  • A Time For Fun, brasileira do mercado de entretenimento ao vivo, realizou a aquisição do grupo brasileiro Popload, que inclui serviços de plataforma de música, produtora e site de notícias, sem valores anunciados;
  • A Arterian Investment Partners, empresa norte-americana de investimentos, realizou a aquisição da U.S. Zinc, fabricante nos Estados Unidos de derivados de zinco metálico, até então pertencente ao grupo Votorantim, sem valores anunciados;
  • O Grupo Bitcoin Banco, corretor brasileiro de criptomoedas, realizou a aquisição da carioca TemBTC, do mesmo segmento, sem valores anunciados.
  • O fundo Criatec 3, gerido pela Inseed Investimentos, realizou um aporte no valor de R$ 3 milhões na Varejonline, empresa catarinense que desenvolve software de gestão para o segmento do varejo;
  • A SuperJobs, venture capital brasileira, realizou um aporte na brasileira Rocket Pass, plataforma de meio de pagamento, controle de acesso e emissão de bilhetes para eventos, sem valores anunciados;
  • A norte-americana Ribbit Capital e a argentina Kaszek Ventures, gestoras de venture capital, realizaram um aporte no valor de R$ 25 milhões na fintech de Porto Alegre (RS) Warren, corretora digital que tem auxílio de robô;
  • A América Móvil, mexicana do setor de telecomunicações que controla a Claro, realizou a aquisição Nextel Brasil, operadora de telecomunicações detida pela norte-americana NII Holdings e a AI Brazil Holdings, pelo valor de R$ 3,47 bilhões;
  • As japonesas Mitsui e ISK, holding de investimentos e companhia de P&D na área química, respectivamente, realizaram a compra minoritária de 25% da mineira Ourofino Agrociência, produtora de defensivos agrícolas, sem valores anunciados;
  • O Banco BTG Pactual realizou um aporte na startup brasileira Digesto, plataforma para a área jurídica que utiliza inteligência artificial para pesquisar e compilar dados de processos públicos, sem valores anunciados;
  • A Kinase Investments, fundo brasileiro de investimento, realizou a aquisição de 95% da mineira Stoque, empresa que atua com soluções de gestão de documentos e outsourcing de impressão, pelo valor de R$ 70 milhões;
  • A companhia brasileira de bebidas Ambev realizou a aquisição da HBSIS, empresa de Blumenau (SC) que desenvolve soluções tecnológicas para o controle de operações logísticas, sem valores anunciados;
  • A brasileira Stefanini, especializada em soluções de negócios baseadas em tecnologia, realizou a aquisição da startup brasileira Intelligenti, que atua com soluções para gestão de processos jurídicos com foco em inteligência artificial, sem valores anunciados;
  • A Miraboud Asset Management, divisão de gestão de recursos do grupo suíço Mirabaud, realizou a aquisição da gestora de recursos brasileira Galloway, especializada em dívida de mercados emergentes, sem valores anunciados;
  • O fundo de investimentos Stratus SCP Brasil Coinvestimento II realizou a aquisição da Investfarma, proprietária da Drogaria DM Ltda, que controla a adeia paulista de farmácias Poupafarma, sem valores anunciados;
  • O grupo CERS, que oferece cursos preparatórios online para a área jurídica, realizou a aquisição da Ad Verum, instituição educacional especializada em concurso públicos, carreira jurídica e exames da OAB, pelo valor de R$ 16 milhões.

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

Glossário

Definições aplicadas neste relatório na categorização de uma transação

Aquisição de participações controladoras são aquelas em que o comprador obtém, na transação, o controle da empresa. Enquadram-se nesta categoria as transações de compra de 100% das ações, de uma participação majoritária (maior do que 50%, mesmo que por apenas uma ação), participações adicionais que transferem o controle para o comprador (por exemplo, um acionista que já possui 30% ao comprar uma participação adicional de 21%), ou qualquer outra transação em que fique explícito que o controle foi transferido para o comprador. 

Compra de participações não-controladoras são aquelas em que o controle da empresa não é transferido junto com as ações - tipicamente, são transações menores do que 50% do capital.

Contatos

Leonardo Dell'Oso

Sócio e líder de Deals, PwC Brasil

Tel: +55 (11) 3674 3417

Siga-nos