IFRS 17: como gerenciar dados para otimizar a estratégia de nuvem

Introdução

As seguradoras se preparam há cinco anos para o International Financial Reporting Standard emitido em maio de 2017 (IFRS 17), que afetará drasticamente suas finanças incluindo preços de subscrição, vendas e marketing. Ao longo desse processo, as empresas adotaram tecnologias de nuvem e aceleraram seu investimento em engenharia de dados. Mais recentemente, as seguradoras também começaram a mudar a forma de implementar seus aplicativos e soluções de dados, a fim de se prepararem melhor para as novas regulamentações e se modernizarem. Em vez de manter as soluções instaladas no próprio local, elas passaram a adotar uma infraestrutura de serviços em nuvem e software como serviço, preferindo se concentrar mais em seus negócios principais.

Esse redesenho estratégico é uma tarefa importante, mas as seguradoras estão percebendo que precisam acelerar sua transição. Fazer essas mudanças reduzirá as despesas de longo prazo e aumentará a flexibilidade e o foco nas atividades que geram valor. O uso de modernos recursos de análises de dados também permitirá melhorar a tomada de decisão e ajudará as seguradoras a se diferenciarem dos concorrentes.

Isso é crucial não apenas para cumprir o IFRS 17, mas para lidar com cenários críticos para os negócios, como a Covid-19 e as demandas do futuro em geral. Todos esses esforços exigem a implementação do modelo adequado de gerenciamento de dados. Desenvolver esse modelo, portanto, deve ser a mais alta prioridade das seguradoras agora.

Como desenvolver um modelo de gerenciamento de dados

Os dados são um dos ativos mais valiosos de uma organização. Mas a variedade de plataformas e aplicativos de tecnologia que as empresas usam para gerenciá-los pode dificultar a otimização. Diferentes sistemas geram enormes quantidades de informações, mas de forma isolada e que limita o acesso. Diante desses desafios, as tentativas de adotar estratégias de nuvem ou multinuvem – como migrar todos os dados corporativos para um data lake hospedado na nuvem ou para um repositório que sirva a toda a empresa – raramente são bem-sucedidas.

Para superar esses desafios, uma organização precisa desenvolver um modelo de gerenciamento de dados que defina as regras corporativas sobre como os dados são coletados, armazenados, transformados, distribuídos e consumidos. A uniformidade de tratamento dos dados ajudará a empresa a acessá-los e usá-los para assegurar o compliance regulatório e a geração de insights de negócios. Um modelo deve incluir regras para dados estruturados (como bancos de dados), não estruturados e semiestruturados. Também deve descrever como os dados se conectam aos processos de negócios para produzir informações úteis.

Por que avançar

Os requisitos do IFRS 17 e as vantagens gerais da migração de dados corporativos para a nuvem são bem conhecidos há anos. Mas a pandemia da Covid-19 mostrou que esses recursos são um imperativo de negócio ainda mais urgente do que já eram. Com um modelo de gerenciamento de dados holístico e proativo e uma estratégia de nuvem implementada, as seguradoras podem fazer essa transição com velocidade razoável e perturbações mínimas para alcançar importantes benefícios de negócios.

Carlos Matta

Sócio, São Paulo, PwC Brasil

+55 (11) 3674 2000

Email

Lindomar Schmoller

Sócio, São Paulo, PwC Brasil

+55 (11) 3674 2000

Email

Siga-nos