2018 Global Consumer Insights Survey

Confira as conclusões da nossa pesquisa anual sobre o comportamento de mais de 22 mil consumidores on-line no planeta.

Principais conclusões

Desde 2010, a PwC elabora uma pesquisa anual com milhares de consumidores em todo o mundo para acompanhar a evolução do comportamento de compra deles. Este ano contatamos mais de 22 mil consumidores de 27 territórios em todo o mundo.

Eles nos disseram que estão otimistas em relação à economia dos seus países e planejam gastar mais em compras e experiências, principalmente em lojas físicas ou on-line via dispositivos móveis. Os participantes também estão dispostos a pagar mais por serviços personalizados, como entrega mais rápida ou no mesmo dia. Eles confiam nas redes sociais para buscar inspiração para suas compras e se mostram ambivalentes quanto ao uso da inteligência artificial e da tecnologia, especialmente para monitorar seus hábitos de compra.

loading-player

Playback of this video is not currently available

Sobre a Global Consumer Insights Survey

Este ano, decidimos que um novo nome faria mais sentido para as conclusões mais abrangentes da nossa pesquisa: Global Consumer Insights. Essa mudança é uma forma de reconhecer que as linhas que antes separavam claramente varejistas, fabricantes, empresas de tecnologia e provedores de serviços de logística estão se tornando cada vez mais difíceis de distinguir, já que os consumidores estão mais abertos do que nunca a soluções não tradicionais.

 

Confira abaixo os temas da pesquisa:

otimismo do consumidor

Consumidores e CEOs estão otimistas

Apesar da tão falada “nova normalidade”, que foi induzida pela recessão de 2008 e vinha reduzindo o poder de compra do consumidor, os dados revelam que os consumidores estão muito confiantes em relação aos próximos cinco anos.

Na verdade, quando perguntamos qual a visão dos consumidores sobre a economia dos seus países em 2018, um terço afirmou que ela terá um desempenho melhor do que no ano anterior. Outros 40% disseram que ela ficará estável. Também pedimos que os participantes quantificassem o seu gasto pessoal nos próximos 12 meses. Quase três quartos disseram que planejavam gastar tanto ou mais do que nos 12 meses anteriores.

Baixe a publicação sobre o tema

 

Inteligência artificial

Inteligência artificial e os pontos de contato com o consumidor

A inteligência artificial (IA) está avançando rapidamente para os segmentos de consumo. Atualmente, cada vez mais consumidores usam o chamado “comando de voz” para fazer compras em dispositivos domésticos e reabastecer suas despensas. A IA também está ajudando as lojas a otimizar o estoque em tempo real e a melhorar técnicas de organização das prateleiras, além de transformar a logística e a entrega e revolucionar a definição e segmentação do perfil dos clientes. Nos próximos dois a três anos, os pioneiros da indústria conquistarão grandes vantagens em relação aos retardatários. Esta pesquisa da PwC oferece algumas visões sobre o ritmo de avanço da IA e sobre quais consumidores serão provavelmente os pioneiros.

Baixe a publicação sobre o tema

 

Novos modelos de negócios

Novos modelos de negócios na era do marketplace

Este foi o ano em que muitos varejistas se renderam à ascensão do comércio on-line. No entanto, varejistas de todos os tipos ainda têm condições de prosperar, pois o comércio eletrônico representa ainda apenas uma fração do comércio global entre empresas e consumidores. A chave é identificar duas ou três vantagens competitivas que possam fornecer o mesmo tipo de experiência integrada de interação vivenciada on-line.

Nesta nossa pesquisa, descrevemos alguns dos mais recentes modelos de negócios que permitem a fabricantes e pequenos varejistas competir com os gigantes do comércio eletrônico.

Baixe a publicação sobre o tema

 

Confiança do consumidor

Em quem os consumidores realmente confiam?

O estudo Global Consumer Insights Survey 2018 da PwC aponta para a crescente importância das mídias sociais – os consumidores acreditam nas opiniões coletivas de estranhos – e para o desafio que as marcas e os varejistas enfrentam de serem vistos como autênticos e confiáveis.

A questão da confiança também deve ser uma prioridade para os executivos, no momento que eles avaliam como implantar novas tecnologias e serviços para melhorar a experiência do consumidor e, ao mesmo tempo, proteger a segurança de um volume cada vez maior de dados de clientes.

Baixe a publicação sobre o tema

 

Novos hábitos de consumo

Do shopping para o smartphone: os novos hábitos de consumo

Os hábitos são essenciais para a felicidade e realização do ser humano. Sem hábitos constantes, ficamos facilmente sobrecarregados pela grande variedade de opções em diferentes áreas da nossa vida. Isso tem sido positivo para os negócios de fabricantes e varejistas, que há muito tempo se beneficiam de hábitos estáveis de consumo.

Entretanto, a disrupção digital estimulou uma reinvenção criativa dos hábitos de consumo nos últimos anos, eliminando algumas rotinas e criando comportamentos de consumo inteiramente novos. Esta publicação aborda onde os hábitos estão sendo criados e alterados com mais intensidade – canais usados para compras, rapidez da entrega de pedidos on-line e inspiração para compras – e como as empresas podem se beneficiar desse movimento, adaptando seus negócios às novas condições.

Baixe a publicação sobre o tema

 

Expectativas de entrega

Entrega rápida, flexível e confiável

De acordo com a nossa pesquisa, os varejistas on-line elevaram claramente as expectativas dos consumidores em relação a entregas rápidas, flexíveis e confiáveis de suas compras. Os consumidores estão dispostos a pagar mais para receber uma entrega mais rápida ou no mesmo dia e são indiferentes a quem é o responsável pela “última milha”.

A boa notícia é que há bastante espaço para o surgimento de novas soluções – não só entre empresas de produtos de consumo e varejo, mas na ampla gama de prestadores de serviços de logística de transporte que gerenciam várias fases da cadeia de abastecimento.

Baixe a publicação sobre o tema

 

"As marcas precisam pensar em como se envolver de uma maneira que pareça autêntica, cuidadosa."

Rick KauffieldDiretor, PwC EUA

Contatos

Siga-nos