Como realizar um IPO

Abrir o capital é uma das decisões mais importantes para qualquer empresa privada, um compromisso estratégico que muda para sempre a forma de gestão da organização, seus controles internos e as exigências de transparência.

Uma empresa brasileira de capital aberto tem acesso a uma série de fontes alternativas de financiamento no mercado de capitais, como fundos de investimento de direitos de crédito, debêntures, novas emissões de ações (follow-ons), entre outras, que não estão disponíveis para empresas privadas. Em um mercado que deve continuar a se consolidar, uma companhia listada em bolsa tem a vantagem de poder usar suas próprias ações como moeda para adquirir outras empresas. Mas o caminho para a abertura de capital impõe desafios únicos para as empresas. Se não for devidamente planejado, ele pode ser bastante complicado e longo.

Uma oferta pública inicial de ações (IPO) é um evento de mudança para qualquer organização. Receber novos sócios via mercado é um “divisor de águas” para a gestão e a cultura corporativas. É importante se preparar para ser uma empresa com ações negociadas na bolsa de valores, mas a organização deve estar pronta também para o “dia seguinte” ao lançamento dos papéis. Ela terá de atender às novas exigências que recaem sobre uma empresa de capital aberto, o que pode demandar um novo conjunto de habilidades por parte dos administradores e empregados, além de controles adicionais e de transformações no negócio. Planejar com antecedência como você vai cumprir esses requisitos é essencial para ter sucesso no lançamento das ações e para reduzir problemas inesperados pós-IPO.

Qual mercado?

Uma das primeiras e mais importantes decisões que a empresa precisará tomar é escolher em que mercado pretende negociar suas ações. Nunca houve tantas opções viáveis para isso quanto hoje – como bolsas de valores nacionais, internacionais ou até a dupla listagem.

A decisão afetará profundamente não só a valorização da empresa e o relacionamento com os investidores – também terá impacto na estrutura, nos processos e na estratégia no futuro próximo. Faça essa escolha de forma cuidadosa, levando em conta as ambições de curto e longo prazos.

Estas são algumas das questões essenciais a serem avaliadas em cada mercado:

  • A valorização desejada.
  • O tamanho e a amplitude da base de investidores.
  • As tendências de liquidez de longo prazo no mercado e o apetite atual por novas listagens.
  • Os requisitos regulatórios do mercado, inclusive obrigações de compliance pós-listagem.
  • As escolhas feitas pelos concorrentes.
  • As condições econômicas locais da indústria.
  • O grau de prestígio do índice.
  • Velocidade e oportunidade corretas de entrada no mercado.
  • Diferenças de cultura, idioma, fuso horário etc.
  • Custo da listagem.

 

Com uma atuação de mais de 20 anos, o Centro de Excelência em IPOs da PwC Brasil desenvolveu uma equipe formada por 10 sócios e aproximadamente 100 gerentes e profissionais seniores para atender empresas que querem abrir seu capital ou levantar fundos nos mercados brasileiro e internacional. Essa equipe tem um caráter multicultural e está geograficamente distribuída por todo o Brasil, com base em seis escritórios da firma. Ela trabalha de forma integrada com a nossa rede global de profissionais de mercados de capitais e participa de um programa de intercâmbio abrangente com outros países.

Nossa presença global garante que tenhamos profissionais brasileiros destacados nos principais mercados de capitais dos Estados Unidos, da Europa e da Ásia. Também recebemos profissionais de escritórios da PwC de várias partes do mundo para trabalhar com a nossa equipe no Brasil. Praticamente todos os integrantes da equipe têm as certificações ACCA, CPA ou de outros institutos de especialistas contábeis, além de serem contadores registrados no Brasil. Tudo isso facilita muito a comunicação com profissionais da PwC em outros escritórios quando um cliente planeja abrir o capital em um mercado internacional e nos dá um entendimento muito claro sobre as diferentes exigências regulatórias.

 

Prontidão para o IPO

Assim que os acionistas decidem abrir o capital e escolhem o(s) mercado(s) em que desejam atuar, a empresa precisa demonstrar que está em boa forma para iniciar o processo – e quanto mais cedo ela começar, melhor. Um plano de negócios bem elaborado e uma sólida estrutura corporativa são essenciais, como também uma história corporativa convincente e sistemas de governança, finanças e TI adequados em funcionamento. A equipe designada pela empresa precisará estar pronta desde o primeiro dia para tratar de exigências relacionadas a questões de compliance regulatório, operações, gestão de riscos, relatórios, relações com investidores, entre outras. Tudo isso, é claro, mantendo a gestão dos negócios da empresa no dia a dia com eficiência e estratégia.

Você está pronto para se abrir ao mercado?

Contamos com os profissionais, a presença de mercado e as ferramentas necessárias para apoiar a sua empresa em cada estágio do processo de preparação para o IPO. Além de supervisionar a elaboração da documentação necessária e a gestão das atividades envolvidas, podemos acelerar o processo realizando uma abrangente avaliação de prontidão para o IPO da organização. Esse estudo salientará possíveis obstáculos, problemas imprevistos e outras áreas críticas nas quais os processos e as estruturas atuais talvez estejam aquém das exigências regulatórias e melhores práticas. Tais problemas geralmente surgem em áreas como impostos, governança, controles internos, gestão de pessoas ou compliance.

Com base nesse trabalho, ajudaremos você a priorizar as principais áreas que precisam de remediação para que, quando a empresa estiver pronta para iniciar o IPO, ela possa ter segurança de que os processos estão de acordo com os requisitos mais recentes do mercado e as expectativas dos stakeholders em relação a uma empresa de capital aberto. Informações de benchmarking e dados sobre empresas do mesmo ramo são importantes para conhecer as expectativas do mercado e poder atendê-las por meio da implantação de uma área de relações.

Execução de um IPO

Um IPO de sucesso é a coroação de um processo longo e complexo. Todos os elementos de um grande quebra-cabeça precisam estar nos seus devidos lugares para que você consiga avançar no rumo certo. Isso envolve áreas de estratégia, contabilidade, elaboração de relatórios, sistemas financeiros, governança, relações com investidores e a mídia, tesouraria, gestão de riscos financeiros, tributos, recursos humanos e tecnologia.

Cada mercado tem suas próprias regras e seus próprios riscos, além de um ambiente regulatório a ser respeitado. Por isso, é tão importante trabalhar com uma assessoria independente que conte com os profissionais e os conhecimentos de que você precisa para ajudá-lo a executar o seu IPO no mercado em que você deseja atuar.

A listagem da sua empresa em uma bolsa de valores exigirá a coordenação do trabalho de vários atores importantes – banqueiros, advogados, auditores, contadores, seguradoras, profissionais de TI e de relações com investidores, entre outros. Uma boa estrutura de gestão de projetos, na figura de um PMO (Project Management Office) é essencial.

Nossa equipe de especialistas em mercados de capitais está pronta para ajudar você a dominar todo esse processo. Temos experiência e conhecimentos profundos das regras e dos regulamentos que regem todos os importantes mercados de capitais ‒ e uma história bem-sucedida de trabalho integrado e eficiente tanto em IPOs internacionais quanto no próprio país.

O Centro de Excelência em IPOs da PwC pode assessorá-lo em relação a todos os aspectos da sua oferta pública, entre eles:

  • Estabelecer os parâmetros de avaliação da empresa e sua história corporativa.
  • Elaborar o prospecto ou memorando de oferta e o documento de Discussão e Análise da Administração
  • Definir a estrutura ideal da oferta (incluindo problemas fiscais).
  • Converter demonstrações financeiras para IFRS, US GAAP ou padrões locais de relatórios.
  • Elaborar divulgações requeridas pela CVM, SEC ou outras agências regulatórias, IFRS, US GAAP ou padrões locais de relatórios.
  • Caso seja aplicável, fornecer demonstrações financeiras carve-out pro forma.
  • Solucionar problemas levantados pelos reguladores na revisão dos documentos de registro.
  • Avaliar controles internos, inclusive durante o processo de elaboração do relatório financeiro.
  • Elaborar relatórios de due diligence privados e cartas de conforto.
  • Preparar materiais de relações com investidores e outras comunicações com stakeholders.
  • Solucionar questões de governança corporativa.

O trabalho dos nossos especialistas em mercados de capitais visa fornecer o apoio e a assessoria técnica, financeira e de mercado necessárias para executar uma abertura de capital bem-sucedida. Assim, a administração da empresa pode se concentrar em garantir a continuidade dos negócios, mesmo durante o processo de transformação em uma empresa de capital aberto.

Abertura de capital

O IPO é o início de uma nova fase na vida da empresa. Com a abertura de capital, ela estará muito mais exposta à avaliação do público e deverá atender a um universo muito mais amplo de stakeholders. Precisará gerenciar também um conjunto significativamente maior de novos riscos e obrigações. Qualquer fragilidade nos seus sistemas ou qualquer falha no cumprimento de normas regulatórias pode levar à perda da confiança dos investidores – sem mencionar danos à reputação e possíveis prejuízos monetários para a organização e seus líderes. De diferentes maneiras, a percepção do público terá um efeito direto sobre o valor das ações da empresa.

Como podemos ajudá-lo

O dia seguinte à abertura de capital precisa ser bem planejado. Nós, da PwC Brasil, podemos ajudá-lo a preparar a empresa para essa nova fase das seguintes maneiras:

  • Estabelecendo protocolos e benchmarking para o departamento de Relações com Investidores.
  • Gerenciando os novos requisitos regulatórios e exigências de prestação de informações de uma empresa aberta.
  • Entendendo como atender às expectativas de mercado e analisando as tendências de mercado.
  • Coordenando a comunicação por meio da área de Relações com Investidores.
  • Realizando estudos de benchmarking sobre demonstrações financeiras, informes de resultados e documentos de registro (Formulário de Referência).
  • Incorporando sistemas e processos para ajudar a simplificar a elaboração de relatórios financeiros e a cumprir exigências de prestação de informações como uma empresa aberta.
  • Gerenciando a reputação corporativa por meio da comunicação com investidores, analistas de mercado e a mídia.
  • Melhorando a governança corporativa, a transparência e os controles internos.
  • Treinando a equipe em relação à nova mentalidade e às práticas de compliance de uma empresa aberta.
  • Gerenciando follow-ons e captações secundárias.
  • Apoiando atividades de fusões e aquisições transnacionais no que se refere aos aspectos relativos aos mercados de capitais.

Nossos especialistas em mercados de capitais podem fornecer o apoio operacional, técnico, financeiro e de compliance de que você precisa para ter sucesso como uma empresa de capital aberto – hoje e no futuro.

Contatos

Rafael Alvim

Sócio

Tel: +55 (19) 3794 5402

Rogério Gollo

Sócio, PwC Brasil

Tel: +55 (11) 3674 2435

Alessandro Marchesino

Sócio

Tel: +55 (11) 3674 2369

Catarina Costa

Sócia

Tel: +55 (11) 3674 3897

Christiano Santos

Sócio, PwC Brasil

Tel: +55 (11) 3674 3897

Fabio Abreu

Sócio, PwC Brasil

Tel: +55 (31) 3269 1508

José Mauro Braga

Sócio

Tel: +55 (11) 3674 2435

Melissa Wisnik

Sócia

Tel: +55 (11) 3674 3716

Siga-nos