Megatendências

Cinco mudanças globais que estão redesenhando o mundo em que vivemos

Reavaliando as megatendências

Quase uma década se passou desde que a PwC identificou cinco megatendências, que caracterizamos como profundas e impactantes, de alcance global e efeito de longo prazo. Megatendências capazes de afetar a todos no planeta e reconfigurar nosso mundo por muitos anos. Agora está claro que as megatendências transformaram nosso mundo ainda mais rápido do que prevíamos. Em grande parte, isso se deve à interação entre elas, que turbinou tanto a velocidade quanto a disseminação da mudança.

À medida que foram se desdobrando, as megatendências também evoluíram. O modo como se manifestam hoje mudou em comparação com dez anos atrás.

Reavaliamos as megatendências para entender como elas mudaram, que futuro podem criar em 2030 e quais questões elas apresentarão à humanidade.


 

Blair Sheppard, líder Global de Estratégia e Liderança da PwC, discute o sistema de megatendências:

“Há uma década, muitas pessoas pensavam que havia tempo para lidar com as megatendências de forma tranquila. Mas ficou claro que isso está longe de ser verdade. As megatendências estão se manifestando como um trem desgovernado e criam um número maior de crises, cada vez mais agudas, ano após ano. Há um potencial ilimitado se a humanidade se unir para enfrentar as megatendências, mas devemos agir agora.”

As megatendências e suas implicações

Enquanto a humanidade tenta descobrir maneiras de reduzir as emissões de carbono, os níveis de gases de efeito estufa na atmosfera pioram, as temperaturas globais sobem e os eventos climáticos extremos se tornam mais frequentes e severos.

Implicações para as pessoas: 

  • Perda de moradia devido a eventos climáticos extremos
  • Aumento do custo de vida; insegurança/escassez de alimentos, água e energia
  • Mais violência relacionada à escassez de recursos
  • Riscos para a saúde devido a novas doenças

Implicações para as organizações:

  • Falência, a menos que haja uma reconfiguração fundamental dos negócios e uma gestão ativa dos ecossistemas
  • Aumento de custos, escassez e insegurança em relação aos recursos 
  • Disrupção da cadeia de suprimentos
  • Criação de empregos por meio de investimentos em tecnologia climática 

Implicações para os países:

  • Catástrofe financeira iminente para os países mais afetados
  • Ameaça à segurança alimentar global e às exportações agrícolas
  • Migração em massa dos países mais afetados para os menos afetados 
  • Novas dependências econômicas devido a cadeias de valor reconfiguradas

 

Tecnologias transformadoras mudam a forma como como nos relacionamos com o mundo e como entendemos a humanidade. Elas permitem criar um valor imenso, mas as consequências nefastas são – e serão cada vez mais – difíceis de mitigar.

Implicações para as pessoas:

  • Aumento significativo de capacidade, o que permite às pessoas alcançarem mais com menos esforço
  • Grandes perturbações para o trabalho (perda de empregos devido à automação, pressão para se capacitar melhor e permanecer relevante)
  • Perda de privacidade
  • Aumento da desinformação e da circulação de informações falsas
  • Problemas de saúde mental crescentes

Implicações para as organizações:

  • Diferenciação competitiva por meio da tecnologia
  • Fracasso nos negócios sem transformação digital e maior agilidade na execução, demandando um gasto considerável em tecnologia
  • Concentração de poder nas mãos de poucos; falência de pequenos negócios
  • Incompatibilidade entre habilidades necessárias e disponíveis
  • Aumento do risco cibernético

Implicações para os países: 

  • Dificuldades para que os governos acompanhem a evolução da tecnologia 
  • Criação de novas instituições baseadas em tecnologia
  • Pressão para que os governos aumentem as regulamentações para mitigar as consequências não intencionais da tecnologia
  • Mudança de dependências econômicas devido ao acesso a tecnologias essenciais

A média de idade em todos os países do mundo está aumentando,* mas a taxas desiguais e partindo de uma posição inicial diferente. Essa mudança demográfica está levando ao colapso dos sistemas sociais de alguns países e à falta de trabalhadores em áreas críticas. Enquanto isso, outros países enfrentam um aumento alarmante do desemprego e subemprego, o que enfraquece as economias, devido à emigração de cidadãos, e pressiona as redes de segurança social.

Implicações para os indivíduos:

  • Pobreza resultante da aposentadoria inacessível
  • Escassez de serviços, especialmente os essenciais sem grande entrada de novos talentos (por exemplo, construção) ou voltados para a geração mais velha (como assistência domiciliar)
  • Desemprego em massa de jovens
  • Pobreza extrema

Implicações para as organizações:

  • Mudança nas necessidades e nos padrões de consumo, desaceleração dos setores baseados no consumo
  • Incompatibilidade entre habilidades disponíveis e necessárias
  • Conflitos relacionados a uma força de trabalho multigeracional com diferentes visões sobre o trabalho e o mundo
  • Falta de habilidades importantes na força de trabalho

Implicações para os países:

  • Descompasso entre as capacidades dos países
  • Migração em massa de países com média de idade baixa para aqueles com média de idade alta, ou agitação social
  • Profunda polarização social entre gerações mais jovens/mais velhas, nativos/imigrantes e diferentes comunidades raciais/étnicas
  • Sistemas de assistência social falidos e erosão da base tributária

*Fonte: Nações Unidas, Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais, Divisão de População (2019). Perspectivas da População Mundial 2019

 

O mundo está se fragmentando e se torna cada vez mais multinodal à medida que mais países competem por influência. O resto do planeta se alinha em torno deles, enquanto alguns outros agem como desestabilizadores. As nações se voltam cada vez mais para dentro, priorizando sua resiliência e seu território.

Implicações para os indivíduos:

  • Declínio da segurança pessoal devido a conflitos
  • Preocupações das pessoas com questões locais se tornam mais agudas
  • Perda de liberdade e transparência em mais países
  • Aumento de abusos de direitos humanos 

Implicações para as organizações:

  • Pressão por boicotes e posicionamento em relação a questões “políticas”
  • Disrupção das cadeias de suprimentos globais
  • Dificuldade de fazer negócios em um mundo com regras e regulamentos conflitantes 
  • Pressão para que empresas globais estejam firmemente estabelecidas em países-chave

Implicações para os países: 

  • Aumento de conflitos internacionais, insegurança e migração; multilateralismo cada vez mais difícil
  • Países e regiões desestabilizados pela ascensão de representantes subnacionais e atores paralelos
  • Decisões políticas cada vez mais paroquiais 
  • Pressão para aumentar os orçamentos de defesa, com corte de outros orçamentos importantes

Uma enorme pressão – resultante da polarização social e econômica, disrupção, mudança demográfica e erosão da confiança – leva a um aumento dos distúrbios sociais. (Veja o framework ADAPT )

Implicações para os indivíduos:

  • Diminuição da capacidade de bancar uma vida decente
  • Redução da ascensão social
  • Dificuldade de entender e confiar em outras pessoas
  • Declínio da segurança pessoal devido à agitação social

Implicações para as organizações:

  • Necessidade de reconciliar demandas conflitantes de vários stakeholders
  • Pressão para aumentar a transparência ao mesmo tempo em que se gerencia o risco reputacional
  • Responsabilidade de atender a todas as necessidades dos funcionários
  • Maior necessidade de investir na criação de confiança

Implicações para os países: 

  • Erosão da classe média, pobreza em massa em certos países
  • Risco real de agitação social e instabilidade política
  • Desvalorização contínua de instituições que sofrerão os efeitos corrosivos da corrupção
  • Aumento do ceticismo interferindo na realização de mudanças importantes



As cinco megatendências já mudaram e continuarão a mudar o mundo por muitos anos. Cada uma delas envolve questões existenciais e tem o potencial de levar a humanidade a um ponto de inflexão. É a interação entre essas megatendências, porém, que torna seu enfrentamento especialmente difícil. Cada megatendência exacerba os desafios sociais que o mundo enfrenta. Ao mesmo tempo, a magnitude dos desafios sociais dificulta a união da sociedade para lutar contra os efeitos negativos das mudanças climáticas, da disrupção tecnológica, das mudanças demográficas e de um mundo fragmentado.

Não há dúvida: a humanidade está numa corrida contra o tempo.


Siga a PwC Brasil nas redes sociais