Um ano de superação

Pesquisa Fintechs de Crédito Digital 2023

As startups de crédito digital passam por um processo de consolidação, buscando mais receitas e estabilidade como negócio. É o que revela a terceira edição da Pesquisa Fintechs de Crédito Digital, realizada pela PwC e a Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD).

Em 2022, as fintechs de crédito no Brasil enfrentaram desafios sem precedentes, mas, mesmo diante de adversidades, o segmento obteve um crescimento de 9%. O processo de consolidação do setor é a continuação de uma tendência de amadurecimento identificada na edição anterior da pesquisa.

Os resultados do nosso estudo se baseiam em respostas fornecidas on-line por executivos de 40 empresas do setor, 23 delas associadas à ABCD. Veja alguns destaques:

Número de funcionários. Em relação ao número de funcionários, há um equilíbrio maior na distribuição das empresas por quantidade de funcionários em comparação com os anos anteriores. As fintechs de maior porte tiveram um crescimento consistente, especialmente aquelas com mais de 300 funcionários – indicando uma possível expansão ou um fortalecimento de empresas bem estabelecidas no mercado. Entre as menores, registrou-se uma forte recuperação na faixa até 50 funcionários (15 pontos percentuais) no último ano.

Estágio de maturidade. Ocorreu uma forte concentração de empresas nas fases de expansão e consolidação. O percentual de empresas nessas duas fases reunidas pulou de 49%, em 2019, para 79%, em 2022. Esse dado sugere que o segmento de fintechs de crédito está amadurecendo, com muitas empresas superando os desafios iniciais e alcançando uma presença mais estável e consolidada no mercado.

Intermediação em destaque. Houve um ligeiro aumento na adoção do modelo de correspondente bancário – o principal atualmente. Isso sugere uma tendência de atuação das fintechs de crédito como intermediárias de instituições financeiras, buscando, possivelmente, reduzir riscos, aproveitar as infraestruturas existentes e estabelecer parcerias estratégicas.


Modelos de atuação das fintechs


2021
2022

Correspondente bancário
%
%
Sociedade de Crédito Direto (SCD)
%
%
Instituição de pagamento
%
%
Sociedade de Empréstimos entre Pessoas (SEP)
%
%
Sociedade de Crédito, Financiamento e Investimento (SCFI)
%
%

O ano de 2022 foi marcado por uma tendência de especialização das fintechs de crédito exclusivamente em pessoas físicas (PF) ou jurídicas (PJ), em vez da tentativa de atender ambos os públicos. 

O crescimento exclusivo por público foi mais acelerado para o segmento PJ, com uma taxa anual de aproximadamente 32% entre 2021 e 2022, em comparação com 16% para PF.

Foco na média empresa. Ocorreu um crescimento expressivo da penetração no segmento de médias empresas – a fatia mais do que dobrou de tamanho em um ano, mostrando que as fintechs de crédito têm fôlego para atender um cliente com maior fluxo financeiro.


Tipos de clientes PJ


2021
2022

Microempresa
%
%
Pequena empresa
%
%
Média empresa
%
%
Grande empresa
%
%

Escolaridade dos clientes pessoa física. Mais de três quartos (76%) dos clientes pessoa física das empresas pesquisadas concluíram pelo menos o ensino médio. É um perfil bem mais escolarizado que o da população brasileira acima de 15 anos, que registra 35% de pessoas com ensino fundamental, no máximo, e apenas 5% com pós-graduação.

O volume anual de crédito ofertado pelas fintechs de crédito pesquisadas se manteve em crescimento e alcançou quase R$ 14 bilhões. O ritmo, no entanto, foi mais lento, passando de 96%, em 2021, para 9%, em 2022.

Nos últimos dois anos, o investimento em inovação se manteve praticamente inalterado. No entanto, o crescimento das fintechs de crédito esteve muito mais associado à expansão contínua de atividades e operações do que à oferta de novos produtos no mercado para gerar receitas adicionais.

A maioria está apostando mais em desenvolver uma base sólida de clientes e aprimorar sua oferta ao longo do tempo – aproveitando-se das condições de competitividade do mercado brasileiro – do que em fazer investimentos expressivos em pesquisa, desenvolvimento e marketing de novos produtos.



Crescimento orgânico tem mais peso, mas inovação se mantém


Crescimento orgânico
Lançamento de novos produtos

2021
%
%
2022
%
%

Crédito. Em 2022, houve um aumento da participação do crédito consignado e uma ligeira retração de produtos com e sem garantia nas ofertas das fintechs de crédito para pessoas físicas. Essa tendência sugere uma possível revisão de estratégias, com aumento da cautela das fintechs em resposta às condições de mercado.

No caso das pessoas jurídicas, como reflexo do novo ambiente de riscos, algumas categorias de produtos, como o crédito com garantia e a antecipação de faturas de cartão de crédito, mostraram crescimento em 2022.

Garantias. De 2020 a 2022, o percentual quase dobrou. Isso sugere uma maior busca por segurança em meio a um cenário econômico incerto. A categoria de fundos foi a forma de garantia que teve o aumento mais expressivo, quase duplicando seu valor inicial em dois anos.


Tipos de garantias


2020
2021
2022

Recebíveis
%
%
%
Bens e imóveis
%
%
%
Aplicações financeiras
%
%
%
Fundos
%
%
%

Juros. No caso das pessoas físicas, houve uma tendência de alta nos juros médios em várias categorias de produtos em 2022. O cartão de crédito rotativo liderou em termos de aumento absoluto e foi também o produto com juros médios mais altos entre os listados, refletindo o maior risco associado a esse tipo de dívida.

Em relação às pessoas jurídicas, de 2021 para 2022, a maioria das modalidades de crédito experimentou redução ou estabilização na taxa média de juros. A exceção foi o capital de giro com prazo menor que 365 dias, cujo comportamento pode refletir um aumento percebido de risco para empréstimos de curto prazo ou maior demanda por essa modalidade.


Pessoa física – Taxa média por modalidade de crédito (% ao mês)


2021
2022

Cartão de crédito rotativo
%
%
Crédito pessoal não consignado
%
%
Cartão de crédito parcelado
%
%
Financiamento imobiliário
%
%
Microcrédito
%
%
Arrendamento mercantil
%
%
Crédito pessoal consignado (servidores públicos)
%
%
Crédito pessoal consignado (trabalhadores do setor privado)
%
%
PAB (Posto de Atendimento Bancário)
%
%
Refinanciamento de veículos e imóveis
%
%

Pessoa jurídica – Taxa média por modalidade de crédito (% ao mês)


2021
2022

Capital de giro com prazo menor que 365 dias
%
%
Capital de giro com prazo maior que 365 dias
%
%
Desconto de duplicatas e recebíveis
%
%
Aquisição de bens e imóveis
%
%
Antecipação de faturas de cartão de crédito
%
%
Financiamento para exportações
%
%

Inadimplência. Em geral, a inadimplência para pessoas físicas exibiu leve aumento em categorias específicas em 2022. Para as pessoas jurídicas, as taxas de inadimplência caíram. Isso pode indicar melhores práticas de seleção de clientes e administração de risco por parte das fintechs.


Pessoa física


2021
2022

Crédito pessoal não consignado
%
%
Crédito pessoal consignado (trabalhadores do setor privado)
%
%
Microcrédito
%
%
Cartão de crédito parcelado
%
%
Cartão de crédito à vista
%
%
Cartão de crédito rotativo
%
%

Pessoa jurídica


2021
2022

Capital de giro com prazo maior que 365 dias
%
%
Aquisição de bens e imóveis
%
%
Capital de giro com prazo menor que 365 dias
%
%
Desconto de duplicatas e recebíveis
%
%

Oferta de serviços. Houve um crescimento nos percentuais de fintechs de crédito que operam como marketplaces de crédito ou que oferecem serviços de software (SaaS). Em paralelo, caiu a adoção dos modelos CaaS/LaaS (ainda predominante) e BaaS. Essa diversificação é um sinal de que as empresas estão aproveitando suas plataformas e seus conhecimentos de mercado cada vez mais robustos para impulsionar a geração de receitas em um cenário de menos capital disponível para investimentos. É um movimento que fortalece as fintechs de crédito mais como empresas de tecnologia (tech) e menos como instituições financeiras (fin).

Fontes de financiamento se diversificam

Operações com FIDCs (Fundos de Investimento em Direitos Creditórios) ou securitizadoras se tornaram a fonte mais importante de investimento das fintechs de crédito, ultrapassando o capital próprio, que registrou uma queda de 14 pontos percentuais entre 2021 e 2022.

Em paralelo, verificou-se uma elevação na busca por emissão de debêntures, ações preferenciais e linhas de crédito como fontes de captação de recursos, o que denota uma maturidade também na busca por alternativas diferentes do capital dos acionistas.


Tipos de fontes de financiamento


2020
2021
2022

FIDCs
%
%
%
Capital próprio
%
%
%
Debêntures
%
%
%
Emissão de ações preferenciais
%
%
%
Linha de crédito
%
%
%
Emissão de dívida conversível em ações
%
%
%
P2P/Operações ativas vinculadas
%
%
%
Certificados recebíveis
%
%
%

Contatos

Lindomar Schmoller

Lindomar Schmoller

Sócio e líder de Serviços Financeiros, PwC Brasil

Tel: 4004 8000

Willer Marcondes

Willer Marcondes

Sócio, PwC Brasil

Tel: 4004 8000

Siga-nos